131

A febre do pilates – Estatão – Suplementos / Feminino – 23 Agosto de 2008.

O método criado por Joseph H. Pilates caiu no gosto dos brasileiros, estimulando a oferta e facilitando o acesso:Ciça Vallerio – O Estado de S.PauloMarcelo Barabani/AELILIAN – Com as sessões, a postura e o problema de escoliose melhoraram radicalmente

SÃO PAULO – Nos últimos dez anos, a atividade que mais se difundiu na área de fitness, saúde e bem-estar foi o pilates, segundo revela Inelia Garcia, diretora do The Pilates Studio Brasil, escola que forma instrutores da modalidade no País, além de oferecer aulas para o público. Antes desse “boom”, eram raros os locais que  contavam com esse serviço – e os poucos que existiam cobravam uma pequena fortuna.

O método foi criado pelo alemão Joseph H. Pilates no início do século 20, para fortalecer músculos, aumentar a flexibilidade e a consciência corporal. Hoje, há ofertas em todos os cantos. E os preços também se tornaram mais “amigáveis” – com aulas individuais que podem ficar em torno de R$ 80,00 a R$ 120,00. Para facilitar ainda mais o acesso, os estúdios de pilates passaram a oferecer também aulas em grupos de, no máximo, quatro pessoas, barateando o custo.

Diferentemente das aulas de fitness, com classes geralmente abarrotadas de gente, o método pilates exige atenção redobrada, constantes correções durante a prática e aulas adaptadas para a necessidade de cada aluno. Razão pela qual o número de participantes é sempre limitado. Porém, como essa modalidade caiu definitivamente no gosto dos brasileiros, as academias passaram a incluir pilates na sua grade de ofertas.

As academias Companhia Athletica e Competition, por exemplo, têm uma versão simplificada da modalidade. As aulas foram adaptadas por Inelia e são ministradas por professores que carregam o diploma da The Pilates Studio Brasil. “Na realidade, não inventamos nada, mantivemos a fidelidade ao método, ao implantar a parte que é realizada em solo”, explica.

A Fórmula também oferece essa atividade, só que é desenvolvida por outro grande estúdio e escola de profissionais, a Physio Pilates, que optou por colocar bolas como acessórios auxiliares. Embora o preço nas academias seja mais em conta, o resultado desse trabalho corporal é mais rápido quando feito nos estúdios específicos da modalidade, que contam com aparelhagem completa.

Além de ser um exercício e tanto, o pilates também é recomendado para a reabilitação de pacientes. “A versatilidade é mais um dos seus pontos fortes, pois possibilita um repertório de exercícios que vai do simples ao complexo, e é indicado para quem tem problemas ortopédicos, neurológicos, lesões, etc.”, ressalta Alice Becker, que trouxe o método ao Brasil em 1991 e hoje é a diretora do Physio Pilates, cuja sede fica em Salvador, mas tem representações em todo o Brasil e América do Sul.

 

TRATAMENTO

Os benefícios podem ser usufruídos nos estúdios, voltados para um público que vai do sedentário ao atleta, e também em hospitais. Alice, por exemplo, introduziu o método no Ambulatório de Dor do Hospital das Clínicas, ligado à Universidade Federal da Bahia. Lá, os professores formados pela escola de pilates atendem a população carente como voluntários.

Estudos não faltam para comprovar a eficácia do pilates. A professora da modalidade, Camila Parise, coordenadora do Buddah Spa, apresentou na segunda Conferência Sul-Americana de Pilates – realizada no ano passado, em Salvador, sob a direção de Alice Becker – um estudo feito com cinco jogadoras de basquete. Elas foram avaliadas antes e depois de iniciarem suas sessões de pilates. A primeira radiografia apontou os problemas vertebrais mais freqüentes: escoliose e hiperlordose.

Após seis meses de prática, com aulas uma vez por semana, o quadro das voluntárias melhorou muito. “Não há cura para essas anomalias, mas a reabilitação por meio desse método se mostrou eficaz quando comparamos os resultados nos raios x”, conta Camila, que também dá aulas de teoria de pilates no curso de pós-graduação de Fisioterapia, da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid).

Pilates só não é muito indicado para quem quer perder peso, conforme lembra a gerente geral do espaço Equilíbrio, Lilian Ossanai. “Essa modalidade pode substituir a musculação, mas, para emagrecer, o ideal é associá-la a uma atividade aeróbica e alimentação regrada”, diz. “A vantagem desses exercícios é que definem o corpo de forma natural, pois trabalham com todos os grupos musculares e ainda ajudam a melhorar a postura.”

A própria Lilian, que convivia com uma escoliose, começou a praticar pilates quando foi trabalhar no Equilíbrio. Após quatro anos freqüentando as aulas, sentiu grande mudança. Uma das mais visíveis foi a postural: os ombros ligeiramente caídos e desalinhados adquiriram formas harmoniosas e seu problema na coluna desapareceu.

Quem conhece pilates, dizem, não larga mais. Sandra Dambrosio Doraskevicius abandonou o fitness para se dedicar integralmente a essa atividade. Formada em Educação Física e Fisiologia Esportiva, não se sentia útil entre os alunos de musculação. “Muitos deles achavam que sabiam tudo e, quando tentava corrigir algum erro deles nos aparelhos, ignoravam”, fala. “Já as pessoas que fazem pilates ficam atentas às instruções do professor e estão mais preocupadas com qualidade de vida do que apenas com estética.”

Após assistir a uma palestra sobre pilates, Sandra mudou de área e investiu pesado na sua formação de professora – sim, cursos profissionalizantes são caríssimos e chegam a custar a partir de R$ 5 mil, um único estágio. Em seguida, abriu seu próprio negócio, o estúdio Pilates & Cia, inaugurado há dois anos, e já se prepara para abrir a segunda unidade. E o que é melhor, oferece preços “razoáveis”.

“Antes era necessário comprar equipamentos importados, mas hoje já existem fabricantes brasileiros”, ressalta. “Não há mais necessidade de se cobrar valores exorbitantes.” Com mais concorrentes, os consumidores agradecem. Mas, para não cair na mão de maus profissionais, alguns cuidados devem ser tomados. O principal é saber que apenas aqueles com diploma em Educação Física e Fisioterapia podem dar esse tipo de aula, após intensivos cursos de especialização. É recomendável também saber onde o professor de pilates adquiriu sua certificação, e se tem experiência na área.

Serviço

Physio Pilates: um dos parceiros em São Paulo é o Espaço Rudá, R. Rua José de Carvalho, 293 – Chac. Sto Antonio, tel.: 5181-3497 / 3294-9341; www.physiopilates.com.

Fonte: Site Estadão

Tags: No tags

One Response

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *